Menu

Adquira o livro: O Papa do Fim do Mundo - Lindolfo Dias

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

AS MINHAS DUAS TESTEMUNHAS



AS DUAS TESTEMUNHAS, OS 144.000, O TERCEIRO ANJO

As duas testemunhas são os pregoeiros da justiça que nos últimos dias darão a mensagem de salvação ao mundo e encherão a Terra com a glória de sua mensagem. Eles são identificados na profecia sagrada como sendo O Terceiro Anjo, um grupo simbólico de “cento e quarenta e quatro mil, que em suas testas tinham o nome do Cordeiro e de Seu Pai” (Apocalipse 14:1). Sua mensagem promoverá a restauração das sagradas verdades do Evangelho Eterno em todo o mundo antes da volta de Jesus e será levada por dois grupos de pessoas que "guardam os mandamentos de Deus e têm a fé de Jesus" (Apocalipse 14:12), ou seja, guardadores do sábado e cristãos convictos e verdadeiros, provavelmente de judeus convertidos ao cristianismo e cristãos adventistas remanescentes e fiéis.


terça-feira, 22 de dezembro de 2015

A VINDA DE JESUS E O APOCALIPSE



Jesus em breve voltará a este mundo e a sua volta é a bendita esperança da humanidade. É o mais extraordinário acontecimento da História universal e irá coroar a vitória da justiça sobre o pecado, encerrando o grande conflito entre o bem e o mal e restaurando o propósito do Criador de conceder vida eterna às Suas criaturas.  Ele está registrado, direta ou indiretamente, em mais de 2.500 textos da Bíblia Sagrada, mas este pequeno tratado se limitará ao texto registrado no capítulo 14 no livro da Revelação, avançando apenas para esclarecer a forma e o tempo em que ele se dará e as suas consequências para todos os habitantes da Terra.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

TROMBETAS E PRAGAS - O Sétimo Flagelo



O SÉTIMO FLAGELO, O TERCEIRO E ÚLTIMO “AI”

O sétimo flagelo, representado por trombetas e pragas, relata os derradeiros acontecimentos da história humana na Terra. Nessa época, no futuro próximo, tudo ter-se-á cumprido de acordo com a Palavra de Deus. Jesus então Se prepara para vir buscar o Seu povo. O caos domina o mundo. Todos sabem agora que o fim é inevitável e é chegado. Esses acontecimentos estão resumidos nos versículos bíblicos de Apocalipse 11:15-19 e 16:17-21 e são colocados aqui em sua provável ordem cronológica.

domingo, 20 de dezembro de 2015

TROMBETAS E PRAGAS - O Sexto Flagelo



O SEXTO FLAGELO, O SEGUNDO "AI"
O sexto flagelo revela aquela que será a maior batalha de todos os tempos, envolvendo o maior aparato bélico de que se tem notícia. Ela será travada no Oriente Médio, numa região próxima ao Rio Eufrates, envolvendo exércitos da ordem de duzentos milhões, ou vinte vezes dez milhares, ou ainda, de duas miríades de miríades de combatentes, conforme a versão que for estudada. Esta batalha se dará por meio de um gigantesco ataque de forças coligadas quando, numa data previamente anunciada, será morta a terça parte da população daquele lugar, ou dos envolvidos nesse conflito.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

TROMBETAS E PRAGAS - O Quinto Flagelo



O QUINTO FLAGELO, O PRIMEIRO "AI"

O quinto flagelo é representado na profecia como o primeiro dos “ais” anunciados e que encerra uma sucessão das maiores e mais terríveis catástrofes já presenciadas pelo homem, em todos os tempos da História da humanidade. Dando início ao relato, João viu uma estrela que havia caído na Terra e a quem foi dada a chave do poço do abismo. Esta estrela, de acordo com o contexto, não pode ser um astro ou um objeto, mas um ser inteligente, a quem foi dada a chave de alguma coisa chamada “poço do abismo”.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

TROMBETAS E PRAGAS - O Quarto Flagelo



O QUARTO FLAGELO

A vetusta interpretação tradicional traduz os versos bíblicos da quarta trombeta como sendo a sucessiva destruição do governo romano, começando pelo imperador Rômulo Augusto representado pelo sol ferido, destronado pelo rei hérulo Odoacro, em 476 d.C., depois os senadores subvertidos ainda no quinto século, representados pela lua também ferida e finalmente os cônsules, representados pelas estrelas feridas, estes no sexto século.

TROMBETAS E PRAGAS - O Terceiro Flagelo


TROMBETAS E PRAGAS - O TERCEIRO FLAGELO
Quando o profeta descreve o que viu como parecendo uma grande estrela caindo do céu, ardendo como uma tocha, porventura estaria ele se referindo a um homem, um grande guerreiro e conquistador e suas campanhas? Ou ele teria visto alguma coisa parecida com uma estrela que caiu num lugar que descreve como sendo “fonte das águas” e que hoje pudesse ser entendido como um grande reservatório de abastecimento de água de uma grande metrópole?  

TROMBETAS E PRAGAS - O Segundo Flagelo



O SEGUNDO FLAGELO
Quando o profeta descreve o que viu como parecendo uma montanha pegando fogo sendo lançada no mar, o que esta visão sugere? Será que ele viu e tenta descrever uma grande batalha naval ou um meteoro caindo do Mar? É provável que ele jamais tenha visto antes um meteoro ou um meteorito ou mesmo soubesse o que era isso e, por essa razão, não soubesse se expressar como o faria uma pessoa que hoje possui pleno conhecimento do que representa este corpo celeste.

TROMBETAS E PRAGAS - O Primeiro Flagelo



O PRIMEIRO FLAGELO

A centenária interpretação tradicional atribui à invasão dos bárbaros godos, sob a liderança de Alarico I, no ano 410, o cumprimento da primeira trombeta. A palavra saraiva do texto profético é justificada pelo fato de os invasores serem originários do Norte; o termo fogo é considerado como sendo consequência da destruição das cidades e dos campos pelo fogo; e sangue, “devido à terrível mortandade dos cidadãos do império pelos ousados e intrépidos guerreiros” Uriah Smith, As Profecias do Apocalipse, pag. 126, ref. em Estudos Bíblicos, Cpb, Ed. 2011, pag. 113.

TROMBETAS E PRAGAS, JUÍZOS SOBRE UM MUNDO CULPADO - Introdução



A GRANDE TRIBULAÇÃO, O TEMPO DE ANGÚSTIA

É durante a grande tribulação ou, mais precisamente, durante o “tempo de angústia como nunca houve desde que houve nação até àquele tempo” (Daniel 12:1 e Mateus 24:21) que sucederão os eventos anunciados nas profecias das sete trombetas e das sete pragas. Estes acontecimentos serão únicos e incomparáveis, pois é dito que nunca houve e não haverá fatos como aqueles. Tais eventos, terríveis e solenes, se darão exatamente depois do fim do julgamento ou Juízo no Santuário Celestial.

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

O FIM DO JUÍZO NO CÉU-O Incensário de Ouro



O FIM DO JUÍZO E DO TEMPO DA GRAÇA
O que acontecerá quando terminar o Juízo ou o julgamento no Céu e os destinos de todas as pessoas que viveram na Terra estiverem selados para sempre? A Palavra de Deus tem uma resposta clara e conclusiva sobre os grandes e terríveis acontecimentos que finalizarão a experiência terrestre do homem, traduzidas em duas palavras simples e cheias de significado: Trombetas e pragas, que na realidade têm um mesmo significado. A primeira fala desses acontecimentos; a segunda, das suas consequências. 

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

CAPÍTULO 5 - O Julgamento ou Selamento dos Salvos



O LIVRO DA VIDA, SELADO COM 7 SELOS

Todo ser humano ao nascer traz consigo a suprema vocação do amor de Deus. Ele é destinado por seu Criador à vida eterna e tem registrado o seu nome no Livro da Vida. O seu registro definitivo ou a sua exclusão desse livro ocorrem no momento em que seu caso é levado a juízo ou julgamento, quando toda a sua vida é repassada diante do Tribunal de Deus e é decidido o seu destino eterno. A palavra selamento, como está empregada no capítulo quinto do livro do Apocalipse, significa julgamento. Selar alguém, no contexto da profecia, é o mesmo que inscrever definitivamente o seu nome, depois de julgamento, nos registros representados pelo Livro da Vida, selado e mostrado na mão direita de Deus. 

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

APOCALIPSE 4 - O Santuário do Céu, Cenário do Juízo


O SANTUÁRIO TERRESTRE, SOMBRA DO SANTUÁRIO CELESTIAL

 O quarto capítulo do livro do Apocalipse revela o início da obra de Jesus no Céu, logo depois de Sua ascensão. Ele mostra o cenário do Tribunal do Altíssimo, onde se encontra o Seu alto e sublime trono e também os protagonistas do grande acontecimento que é o ministério de Jesus no Céu, em favor de todos os que herdarão a vida eterna. Todas as cerimônias prefiguradas pelo antigo ritual no Santuário Levítico, no passado, que serviu de aio até à vinda do Messias, têm agora cumprimento real e literal, desde que Jesus retornou ao Céu.